quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Projeto Família Acolhedora une forças para não permitir que menores possam ir para abrigos - Você pode ajudar, saiba como



Apresentar o Projeto Família Acolhedora. Esse é o atual objetivo da entidade Kerigma Núcleo Cristão de Proteção, Integração e Lazer da Criança, Adolescente e Família.
 O projeto é parceria da Kerigma com a Prefeitura de Cubatão, por meio da Secretaria Municipal de Cidadania e Inclusão Social (Semcis), e do Conselho Municipal da Criança e do Adolescente (CMDCA).  


  A familia acolhedora é aquela que recebe uma criança ou um adolescente temporariamente em sua casa, até que a família natural destes readquira condições de tê-los de volta.Não se trata de adoção. Esta só deverá ocorrer em último caso.


O Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) prevê que os abrigos sejam transitórios, preparatórios à colocação em família substituta. Assim, não podem mais existir internatos a exemplo dos antigos, em que crianças e adolescentes eram entregues pelas famílias, para serem criados pelo Estado. A famílian substituta tem como objetivo garantir a convivência social da criança e/ou do adolescente, colocando-os sob a guarda de uma mesma comunidade de sua família de origem. 


A sede da entidade fica na Avenida Pedro José Cardoso, 267, 1º andar, Vila Paulista, Cubatão. Contatos podem ser efetuados pelo telefone (13) 3362-5322 e pelo e-mail familiaacolhedora.cubatao@hotmail.com

Para conhecer mais, ouça o programa que teve a participação da Coordenadora administrativa da ONG, Fátima Queiroz e da coordenadora do Projeto Família Acolhedora, Psicóloga Ana paula.



Ouça na integra o programa desta quarta-feira (21/11). *Para uma melhor audição clique em pausar ou abaixe o volume do link "OUÇA AO VIVO" na coluna à direita da página. 


Por Almir Junior - Com informações do release divulgado pela Prefeitura de Cubatão

* Ouça o Pgm. Comunidade em Foco de segunda à sexta-feira a partir da 9h/manhã em FM - 92,5 ou pela internet aqui no blog.

 

Bigode termina o 2º mandato mas não deixa a câmara muito menos a política




No rosto esta a explicação do nome que o fez famoso, Bigode mantem firme a tradição que fez até os mais próximos esquecerem por hora seu nome de registro, Francisco Leite da Silva.

Cubatense por adoação, chegou a cidade ainda criança vindo de Ielmo Marinho-RN. Morador da Vila Parisi trabalhou na area industrial e recebeu na juventude uma proposta que mudaria por completo a sua vida quando trocou um guarda roupa por um barraco na Cota 200 e de lá não saiu jamais.

Como tempo ganhou um anexo a seu apelido e passou a ser conhecido como Bigode das Cotas. Pai de 10 filhos e 12 netos, fruto de 3 casamentos, foi eleito presidente da sociedade de melhoramentos da Cota 200. No morro ganhou o respeito dos moradores do bairro e após ajudar a eleger vereadores na cidade, encarou o desafio a lançar candidatura própria rumo à câmara.

Se o sucesso não veio na primeira tentativa em 1992, o destino quis que Bigose assumisse a vaga deixada pelo saudoso vereador Zaqueu Queiroz falecido em 1998. 1º suplente da coligação, Bigode em fim pode comemorar a presença da periferia na casa de leis.

Foi candidato à deputado estadual e elegeu-se novamente em 2008 pelo PP exercendo um mandato completo pela primeira vez. Na câmara apesar da orientação da executiva local para que se mantivesse na oposição, aliou-se a prefeita  Márcia Rosa, comprou uma briga interna na sigla e findou deixando o partido, indo para o novato PSD.

Com uma campanha fértil, bem desenhada e com ínumeras declarações de apoio, Bigode chegou a ser apontado como um dos favoritos da eleição em 2012, mas foi frustrado com a votação a baixo do esperado e pela força de sua coligação que integrava candidatos do PT.

Perto do final de seu mandato, Bigode não se abate, funcionário de carreira da câmara continuará na casa à trabalho e continuará militando na política, quem sabe com um nova tentativa de eleição já em 2014. Certo é que de uma forma ou outra, Bigode escreveu seu nome na história da política cubatense seja pela sua atuação, sua origem ou pela sua irrevente e folclórica forma de ser.


Ouça na integra o programa desta terça-feira (20/11). *Para uma melhor audição clique em pausar ou abaixe o volume do link "OUÇA AO VIVO" na coluna à direita da página. 




Por Almir Junior 
* Ouça o Pgm. Comunidade em Foco de segunda à sexta-feira a partir da 9h/manhã em FM - 92,5 ou pela internet aqui no blog.

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

João Ivaniel a história de um autêntico nordestino em cubatão. Vereador, presidente da câmara e quase... Prefeito.



Polêmico, sincero e direto, João Ivaniel é do tipo que se pode dizer que não tem papas na lingua. Sua forma autêntica de ser, garantiu a ele todo o suceso ou não que alcançou ao longo de sua carreira política.

Pernambucano de nascimento, chegou em Cubatão ainda criança e como a maioria dos migrantes, foi viver na Vila Parisi em condições precárias de moradia. Olhando a sua volta passou a se indignar com o que via  e não demorou para se tornar uma respeitável líder comunitário, representando os moradores da vila frente a discussões importantes com o poder público e as indústrias.

Com o trabalho braçal custeou seus estudos e formou-se em direito, como advogado passou a fazer profissionalmente aquilo que sempre desejou; Defender o próximo!

Na política, chegou à câmara de Cubatão, foi presidente da casa e até hoje é reconhecido como um dos mais notáveis legisladores da história da cidade.

João consegue numa só personalidade misturar a figura ríspida do nordestino bom de briga a figura simpatica do pai e avó carinhoso, alinhando tudo isso ao líder empenhado em aprender e estudar os problemas antes de tecer qualquer crítica ou elógio.

Na câmara, mesmo quando era voto vencido convidava os colegas para o debate, quando aceito, era garantia de longas horas de sessão em épocas em que não havia tempo regimental e as ordinárias ou extra-ordinárias podiam romper o dia até que um projeto fosse aprovado.

Em 2004, candidato a prefeito pelo PDT tendo como vice o também vereador Wagner Moura, então presidente do PSB. Ficou em 2º lugar na disputa, alcançando 14 mil votos, disputa em que Clermont Castor levou a melhor e findou se reelegendo.

Em 2008 abriu mão da chance da candidatura própria e firmou aliança com o candidato governista Eduardo Paiva Magalhães do PR, porém a pouco menos de 1 semana das eleições, renunciou após uma série de escândalos envolvendo a coordenação de campanha da coligação, ligando a produção de panfletos apocrífos que denigriam a campanha adversária, encabeçada pela Profa. Márcia Rosa do PT.

Em 2010 sofreu um revês e foi destituido da executiva do PDT, partido pelo qual candidatou-se a prefeito em 2004, com a perda do controle na sigla migrou para o PSDB pelas mãos do governador Geraldo Alckimin, por onde havia passado na década de 90.

 No último pleito foi novamente candidato a vereador e por 20 votos não foi eleito, ficando com 1º suplente da sigla. Ivaniel tem ainda uma remota chance de assumir uma das cadeiras nesta legislatura, mas para isso é preciso que o TSE acate o parecer do relator do processo que determina o aumento de 11 para 17 cadeiras na câmara, fato que não anima o advogado.

Dos possíveis beneficiados com a decisão, Ivaniel é o único que não demonstra esperança, está convicto de que os juizes não farão o que ele até considera ser justo.

No programa Comunidade em Foco deste dia 14/11, o homem com cara de bravo e fala por hora eloquente, deu uma tregua. Falou da família, se emocionou e embargou a voz ao falar dos amigos

Acostumado a badalações que os cargos públicos proporcionam, chorou ao ser lembrado por Mário Torres de um texto do filho Bruno, uma espécie de desabafo publicado no Facebook de quem viu a casa cheia em tempos de glória e assistiu com o tempo os parceiros se afastarem do pai.

Apesar de tudo, João não mostrou arrependimento, ao menos não a respeito da forma como encarou sua trajetória e escreveu sua história e que fique bem claro que a mais a se escrever

Mesmo fora da câmara ou da prefeitura, com sua pasta embaixo do braço sempre repleta de documentos que buscam confirmar suas afirmações, ele continuará sendo visto pela cidade, aliás ser morador de Cubatão parece mesmo ser uma condição que ele não abre mão.

Caso o destino não dê ao pernambucano/cubatense um nova chance na política, ao menos que sua história não fique esquecida. A ntrevista com João Ivaniel é daquelas que durariam horas caso não tivessemos horários para encerrar o programa. 
    
* Foto reprodução

Ouça na integra o programa desta quarta-feira (14/11). *Para uma melhor audição clique em pausar ou abaixe o volume do link "OUÇA AO VIVO" na coluna à direita da página. 




Por Almir Junior 
* Ouça o Pgm. Comunidade em Foco de segunda à sexta-feira a partir da 9h/manhã em FM - 92,5 ou pela internet aqui no blog.

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Dinho rechaça debate sobre 2016, anuncia último mandato de vereador, comemora e diz acreditar na nova câmara com oposição construtiva


Se o regime fosse monárquico, certamente ele seria o 1º ministro. Adeildo Heliodo, ou simplesmente o Dinho como é conhecido desde a infância, assumiu ainda na juventude a responsabilidade de lutar por seus ideais e aos 26 anos de idade iniciou sua carreira política vencendo uma disputada eleição, a primeira após a redução de 19 para 11 cadeiras na câmara municipal de Cubatão.

Na casa de leis uniu forças ao lado do também eleito Prof. Wellington, à vereadora Márcia Rosa, grande revelação da oposição do PT após anos. 

Com a experiência de um bem sucedido advogado previdencialista, Dinho foi certamente um aliado e tanto de Márcia, e das tribunas do plenário passou a ser conhecido por seus gritos, gestos espalhafatosos, braços erguidos e indagações firmes que fazia à administração e a sua base de apoio. Sempre acompanhado de fotos, documentos e as vezes até adereços, como baldes que simbolizavam a falta de água no bairro da Vila Esperança, lá estava ele sempre pronto para o embate.

Como num jogo de vólei bol, em que a bola é levantada para o ataque final (cortada), Dinho nunca se importou em ser o levantador da equipe e passar os lances mais promissores para o arremate de Márcia. Unidos fizeram com que a minoria na câmara se agigantasse diante da base governista, passaram a lotar as galerias com populares e logo viram nas pesquisas o nome da vereadora, líder do partido despontar como pretensa candidata ao executivo.

Em 2008, teve recompensado seu trabalho ao participar da vitória petista, desta vez elegendo 4 vereadores na câmara, sendo ele o mais votado do grupo. Deixou por hora o função parlamentar e assumiu o que considera até hoje como um de seus maiores desafios, respondendo por cem dias pela secretaria de finanças do governo. Quem esperava que o fiel escudeiro da recém eleita prefeita fosse desfrutar de um cargo de destaque que lhe transferisse prestígio, viu Dinho metido em grande encrenca, assumindo uma pasta técnica, complexa e em um momento de transição política.

Após o período combinado, voltou a câmara e lá encontrou um outro cenário, de atirador passou à defensor. Na tribuna agora ao invés das denuncias, defesas e justificativas de um governo que ajudou a construir. Como em toda relação, viu a parceria com Rosa quase se findar após cobrar uma atitude do secretariado em plenário, chegou a definir-se independente, mas nada que uma conversa sincera entre amigos e companheiros não resolvesse.

Líder do governo, foi o principal articulador do grupo na casa. Em nova eleição não se importou com as acusações de que seria preferido dentro do partido, elegeu-se mais uma vez e mais uma vez foi o mais votado de sua coligação.

Antes da diplomação de seu terceiro mandato, anunciou que esta foi a última eleição objetivando a câmara, causando alvoroço e especulações sobre a sucessão do governo Márcia que nem se quer começou.

Apesar de ser apontado com destaque na lista de pretensos prefeituráveis, tranquilo, afirmou que estará a disposição do partido e que entende que este não deve ser o momento do debate em torno do tema.

Quem ouviu, ou ouvir a entrevista desta sexta-feira-09/11, certamente conhecerá um Dinho diferente se comparado ao combativo vereador de discursos inflamados.

 No fundo o mesmo menino que chegou cedo em Cubatão trazido pelo pai de Pernambuco em busca de novos tempos, ou talvez o garoto que alojado na Vila Parisi cuidou do bar da família junto do irmão mais novo, de onde tiravam o sustento. O mesmo garoto apaixonado por futebol e capaz de fazer loucuras pelo time do coração, como pintar a casa inteira de roxo e viajar para o outro lado do mundo em Dezembro próximo, pra ver o Corinthians jogar.

Aos 36 anos, Adeildo Heliodoro se nega a fazer projeções de futuro, grato pelo  que conquistou na cidade e orgulhoso pela história que escreveu quer continuar na vida pública,  de acordo com ele até quando entender que poderá contribuir para o crescimento de Cubatão. Certo é, que longos ou curtos 4 anos virão pela frente e enquanto isso ele continuará sendo quando acionado um personagem polêmico e de destaque no cenário político cubatense.

Ouça na integra o programa desta sexta-feira (09/11). *Para uma melhor audição clique em pausar ou abaixe o volume do link "OUÇA AO VIVO" na coluna à direita da página. 


Por Almir Junior 
* Ouça o Pgm. Comunidade em Foco de segunda à sexta-feira a partir da 9h/manhã em FM - 92,5 ou pela internet aqui no blog.

Arlindo Fagundes fala de decisões e decepções na vida política, admite mudança em 2013 e revela que vice e nada é a mesma coisa



Amado por uns, odiado por outros. Arlindo Fagundes Filho, poderia ser conhecido apenas pelo seu perfil trabalhador não fosse sua personalidade forte e disposição em deixar claro suas convicções.

Como a maioria dos "cubatenses", não nasceu nas terras de Afonso Schmidt mas adotou e foi adotado pela cidade. Natural do estado da Bahia, Arlindo aposentou-se após 30 anos serviço público prestados à Prefeitura de Cubatão.

Durante este período, teve forte atuação junto ao grêmio dos servidores públicos, sendo inclusive um de seus presidentes, também ligado ao CAMP (Círculo do Menor Aprendiz de Cubatão), presidiu a instituição e comandou uma grande estruturação  no órgão. 

Em 1999 á convite de amiga Marilda Canelas, filiou-se ao PSB e no ano seguinte foi eleito depois de uma modesta campanha, vereador pelo partido. Seis meses após assumir o cargo, foi a tribuna da câmara e anunciou o fim de sua carreira na casa de leis, decepcionado com a falta do poder de decisão e com os frequentes pedidos que recebia em seu gabinete, na maioria solicitações particulares segundo ele.

Após cumprir seu mandato na câmara, licenciou-se de seu partido para coordenar a campanha de reeleição do então prefeito Clermont Castor. Aliado a administração do médico chegou a ser nomeado secretário de educação no governo, mas pediu exoneração do cargo após 17 dias a frente da pasta, segundo Arlindo a falta de posição e liderança do prefeito motivou a sua ação, já que não viu na prática que não conseguiria por conta dessa "omissão" colocar nenhum dos projetos que tinha em prática.

A volta por cima de Fagundes, veio no final de 2006, apontado como um dos principais nomes para a disputa rumo ao executivo ganhou força ao vencer as eleições internas do PSB e voltar a liderar a sigla  na cidade, o que motivou uma desfiliação em massa do grupo de empresários G40, derrotado na disputa.

Aclamado pelos correligionários, chegou a lançar sua pré candidatura rumo ao palácio Piaçaguera, mas por decisão de seu grupo de apoio, aliou-se à então vereadora de oposição, Profa. Márcia Rosa e abriu mão do objetivo principal para ser candidato a vice.

A frente da campanha, viu a dobradinha sair vitoriosa com direito a recorde de votos, comandou a transição de governo, porém cerca de 6 meses depois, entrou em litígio com a prefeita e anunciou oficialmente o rompimento. 

Segundo Arlindo ao não concordar com diversas ações da administração, passou a ser visto como uma ameaça dentro do próprio governo e aos poucos teve poderes restringidos, com a exoneração de funcionários ligados a seu gabinete, troca de secretários indicados por seu partido sem o seu consentimento e ordens para que seus pedidos não fossem atendidos.

Nesse período, foi alvo de diversas denúncias e acusado de receber ilegalmente o subsídio de vice prefeito já que recebia já da caixa de previdência sua aposentadoria como servidor público. Além disso teve o seu salário com incorporações de funções administrativas exercidas ao longo dos governos em que participou, revelado por meio de seu holerite, distribuído livremente pela cidade.

Alvo de diversas acusações, Arlindo revelou que teve ainda seus telefones bloqueados por diversas vezes, e que chegou a pedir até mesmo auxilio à polícia federal buscando resolver o problema.

Em meio a esse turbilhão, viu seu nome despontar em pesquisas eleitorais mais uma vez e despertou o interesse do PSDB, principal opositor do partido da atual mandatária do município, o PT.

Em um novo momento, filiou-se ao partido tucano e ensaiou vôos altos mais uma vez, porém viu suas pretensões ruírem com a também filiação do ex-prefeito Nei Eduardo Serra e a proposta da coordenação do grupo da realização de uma pesquisa interna de popularidade, envolvendo o nome dos pré candidatos.

Os números revelados, deram ao ex prefeito 47 pontos contra 28 de Arlindo e decretaram sua saída do PSDB e possivelmente sua última tentativa de disputa de um cargo público. Na eleição de 2012 figurou dentre os principais articuladores do candidato Pedro de Sá, dessa vez com uma participação mais tímida, mas, presente.

Nessa entrevista, o homem cujo o nome conta histórias por si em Cubatão, fala sobre suas decepções, comenta frustrações e revela detalhes das decisões que tomou ao longo de sua trajetória.

Sem fugir de uma só questão, rechaçou o título de marajá e confessou que realmente deixará a cidade em 2013, ao menos enquanto morador. A casa já está a venda e no próximo ano as corridas aos finais de tarde, então feitas na Avenida Beira Mar agora terão para ele um novo cenário.

Arlindo, emocionado refirmou seu amor por Cubatão e deixou claro que será visto constantemente pela cidade. Prometendo não abandonar suas convicções disse ainda que estará presente em 2014 e em 2016 para indicar o que considerar melhor para cidade e mesmo deixando não abandonará aquela que ele chama com orgulho de "minha cidade".

Ouça na integra o programa desta quinta-feira (08/11). *Para uma melhor audição clique em pausar ou abaixe o volume do link "OUÇA AO VIVO" na coluna à direita da página. 


Por Almir Junior 
* Ouça o Pgm. Comunidade em Foco a partir da 9h/manhã em FM - 92,5 ou pela internet aqui no blog.

Doda comemora reeleição na câmara e dispara contra administração petista



De perfil contundente, brigador e sempre polêmico, o vereador reeleito Severino Tarcício da Silva ou simplesmente o Doda como é conhecido, foi o entrevistado do Programa Comunidade em foco desta quinta-feira (08/11) pela visão FM.

Natural de Pernambuco, Doda veio para a cidade com apenas 10 anos de idade se instalou com a família na extinta Vila Parisi e posteriormente se transferiu para a Vila dos Pescadores. Ainda na juventude tornou-se uma liderança comunitária do bairro, presidiu a sociedade de melhoramentos e foi candidato a vereador pela primeira aos 18 anos de idade vez obtendo 362 votos.

Em 1996 em nova tentativa foi eleito, sendo o 2º vereador mais votado do pleito com 921 votos, apesar da expressiva votação na eleição seguinte em 2000, quando obteve 1.225 sufrágios não conseguiu a reeleição. Tentou retornar a casa mais uma vez em 2004 dessa vez filiado ao PT mas não teve exito. Voltou a vencer em 2008 e das tribunas da câmara se tornou conhecido pelos embates com a base governista da atual administração.

Em 2010 Doda protagonizou uma briga jurídica com seu então partido PDT, requerendo na justiça o direito de se transferir para o PSB. Alegando perseguição política saiu vitorioso do processo que deu ganho de causa ao vereador abrindo jurisprudência sobre a lei de fidelidade partidária.

Em sua sexta eleição consecutiva disputada neste ano, conseguiu a releição com 1872 sendo o único eleito por seu atual partido. Satisfeito com o resultado, o vereador agradeceu a confiança de seus eleitores e comemorou a terceira vitória nas urnas. 

Prometeu que manterá sua postura independente, e afirmou fará uma oposição ainda mais firme na próxima legislatura. Doda criticou por diversas vezes a administração de Márcia Rosa e lamentou a quantidade de vetos à seus projetos.

O vereador criticou também a posição da base de apoio do governo na câmara, dizendo que a posição do grupo não é democrática e não analisa os projetos pelo seu conteúdo, mas de acordo com a sua autoria.

Doda fez ainda durante o programa, diversas denuncias contra a administração e relatou ter sido perseguido por agentes do governo quando o grupo passou a liderar o seu antigo partido, o PDT.
Ao final, revelou ter o sonho de ver uma Cubatão mais justa, com oportunidades iguais a todos os munícipes e preferiu não projetar por ora, uma possível candidatura rumo à prefeitura na próxima disputa eleitoral.


Ouça na integra o programa desta quarta-feira (06/11). *Para uma melhor audição clique em pausar ou abaixe o volume do link "OUÇA AO VIVO" na coluna à direita da página. 


Por Almir Junior 
* Ouça o Pgm. Comunidade em Foco de desta Terça-feira (06/11) a partir da 9h/manhã em FM - 92,5 ou pela internet aqui no blog.


quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Wellington explica cancelamento do carnaval/2013 e destaca Cinema e novo Anilinas



Em pauta nesta terça-feira um assunto de extrema importância para a população, considerada uma das principais carências da cidade, a cultura foi tema do Comunidade em Foco que contou com a participação do atual secretário municipal responsável pala pasta, Prof. Wellington Riberiro Borges, da presidente do conselho da cultura Juliana Clabunde e da agente cultural Daniele Buruaem.

Um dos maiores desafios da atual gestão, a cultura é a algum tempo alvo de muitas críticas por parte dos cubatenses que devido à falta de espaços apropriados e programações de lazer  acabam  indo para outras cidades em busca desta atenção.

No programa, Juliana ressaltou o papel do conselho na busca pela participação popular na construção de políticas públicas, destacando a criação do fundo municipal de cultura como uma das grandes vitórias do movimento. A proposta do fundo visa arrecadar recursos que serão administrados por um comitê formado pela sociedade, o dinheiro será investido em setores considerados mais carentes, e essa decisão terá como base uma pesquisa feita pelo próprio grupo, a verba aplicada independe da administração pública e só pode ser revertida a projetos culturais.

O anúncio do fundo é oportuno em especial pelo momento financeiro que o município atravessa, com cortes em diversos setores e a começar pelos eventos da cultura, como aconteceu com o carnaval 2013. Sobre este assunto o secretário, Prof. Wellington Borges explicou a decisão da administração, apontando que em tempos de crise as prioridades não devam ser as festas, mesmo reconhecendo a sua importância. 

Interrogado sobre o número dos gastos divulgados com os festejos carnavalescos em 2011 para justificar o cancelamento (cerca de 2 milhões de reais), Wellington explicou que se somados os repasses as escolas de samba, 130 mil a cada uma delas, mais a estrutura gasta com a passarela do samba montada na Avenida Beira mar no Jardim Casqueiro orçada em cerca de 850 mil, aos eventos que abrem as comemorações como os concursos da rainha do carnaval a rainha Gay e o carnaval nos bairros, a soma pode ser até superior aos números revelados.


 O secretário preferiu não dar esperanças sobre as negociações entre vereadores, escolas de samba, blocos e prefeitura, e embora reafirmasse que está disposição dos grupos, disse não acreditar que será possível a realização em do festejo em 2013.

Welington falou ainda a respeito da construção de uma policlínica no prédio para o qual foi projetado o teatro municipal, disse haver um entendimento entre os técnicos da prefeitura de que esta tenha sido a melhor solução encontrada para o espaço e afirmou que todas as tentativas de arrecadação de recursos para o término do teatro foram esgotadas. Ressaltou a construção de um teatro no parque Anilinas e desmentiu a informação propagada por internautas nas redes sociais de que as salas do cinema teriam problemas acústicos e o áudio das salas teriam vazamento de um espaço para o outro.

Projetos de formação cultural e oficinas de capacitação também foram exaltados pelo secretário que citou eventos de pequeno porte realizados em pontos descentralizados como outro grande avanço de sua gestão a frente da pasta. Desconversou quanto a sua continuação no governo em 2013 e deu certezas de que os projetos iniciados por ele poderão ter continuidade por qualquer nome indicado pela prefeita Márcia Rosa caso não seja mantido na função.


Daniele Buruaem reforçou a importância da participação das comunidades nos projetos culturais e falou sobre a realização da edição de Novembro do Rap Day, evento voltado à valorização da cultura negra que envolve elementos do breack, como grafite e hip hop.

Já Juliana ao final do programa reforçou o convite à população para acompanhar das assembléias do conselho, se interar a respeito dos projetos desenvolvidos no município, participando de forma ativa da construção de novas políticas.

  
NOTA DA PRODUÇÃO: Agendado para a entrevista desta terça-feira, o ex-vereador e ex-presidente da câmara João Ivaniel, contatou-nos no dia anterior informando que não participaria do programa em virtude de compromissos pessoais, porém comprometeu-se em estar presente no Comunidade em Foco na próxima semana em data a ser confirmada.
 
Ouça na integra o programa desta terça-feira (05/11). *Para uma melhor audição clique em pausar ou abaixe o volume do link "OUÇA AO VIVO" na coluna à direita da página. 


Por Almir Junior 
* Ouça o Pgm. Comunidade em Foco de desta Terça-feira (06/11) a partir da 9h/manhã em FM - 92,5 ou pela internet aqui no blog.


segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Roxinho comemora reestruturação do PMDB e promete gestão junto aos governos municipal e estadual




O programa Comunidade em Foco desta segunda-feira (05/11) recebeu o vereador eleito pelo PMDB, Fábio Alves, ou simplesmente; Roxinho como é conhecido desde a adolescência.

Natural de Taguatinga-DF e radicado em Cubatão o novo legislador tornou-se um líder comunitário atuante da região dos chamados Bolsões, envolvendo o bairro Jardim Nova República e adjacências. Empresário e fã de futebol como todo brasileiro, envolveu-se na luta do esporte por melhores condições de lazer na cidade, foi diretor da liga de futebol amador de Cubatão e incentivado pelos amigos e pela família aceitou o desafio de ingressar na política.

Já na primeira tentativa em 2008 pelo PP, o "novato" alcançou 1271 votos, expressiva marca para um iniciante que disputava a eleição por um partido sem grande expressão até então.

A boa marca obtida nas urnas, credenciou Roxinho à vôos mais altos. Sendo visto como um dos líderes na nova geração foi escolhido a dedo pela executiva estadual do PMDB para comandar a reformulação da sigla no município. Mais experiente na política, desta vez foi responsável por articular um forte time de candidatos que mesclou nomes conhecidos com novas caras, que acabaram surpreendo nas urnas.

Liderando o partido, foi o candidato mais votado do grupo e alcançou 2.231 votos sendo também um dos mais votados do pleito, viu sua popularidade crescer assustadoramente e alcançou com sobra o seu objetivo.

No programa de hoje, demonstrando total simpatia, Roxinho agradeceu a votação obtida, falou sobre a sua história, brincou com o apelido e confessou que pouquíssimas pessoas o conhecem como Fábio.

Prometeu fazer gestão junto ao governo do estado e ao governo municipal no sentido de agilizar projetos que beneficiem a comunidade de Cubatão e lamentou que o Programa Socioambiental da Serra do Mar não tenha sido colocado em prática junto à uma estruturação nas regiões para onde as famílias dos bairros Cotas estão sendo remanejadas. Citou falhas nas principais área, como acesos viário, saúde e segurança para justificar sua tese.

Mostrou-se otimista sobre a relação que pretende manter entre as administrações, já que seu partido tem a característica de dialogar com diferentes frentes políticas. Integrante do grupo de apoio da prefeita Márcia Rosa na câmara, Roxinho será a único a participar das duas gestões da mesa diretora, ocupando a 2º secretaria nos biênios 2013/2014 e a Vice Presidência no biênio 2015/2016, sobre o acordo, disse acreditar que a palavra de todos será mantida até o fim, discordando dos boatos que dão conta de uma quebra no grupo.

Com poucas palavras limitou-se a agradecer os eleitores no final do programa, e quando interrogado no Ping-Pong sobre o seu sonho, revelou serem muitos, como bom político, agora consagrado nas urnas se saiu bem ao dizer que tudo dependia de Deus, por isso não encontrara resposta satisfatória, sem revelar assim quais serão os próximos passos do promissor líder que findou se tornando.

Ouça na integra o programa desta Segunda-feira (05/11). *Para uma melhor audição clique em pausar ou abaixe o volume do link "OUÇA AO VIVO" na coluna à direita da página. 



Por Almir Junior 
* Ouça o Pgm. Comunidade em Foco de segunda a sexta-feira a partir da 9h/manhã em FM - 92,5 ou pela internet aqui no blog.



quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Cesar não comparece.






Convidado à participar do Programa Comunidade em Foco nesta quinta-feira (01/11), o vereador eleito pelo PDT, César da Silva não compareceu ao Stúdio Rhema conforme combinado.

Em contato com a produção momentos antes de iniciar o programa, o vereador afirmou que por conta de um desencontro em sua agenda, chegaria atrasado, porém isso não aconteceu.

Lamentamos profundamente a ausência do vereador eleito, reafirmando que o espaço Comunidade em Foco é apartidário e democrático, tendo como único objetivo permitir a comunidade o contato próximo à seus representes, governantes ou personalidades que participam ativamente da história do município.


Por Almir Junior 
* Ouça o Pgm. Comunidade em Foco de segunda a sexta-feira a partir da 9h/manhã em FM - 92,5 ou pela internet aqui no blog.

Nega denuncia favorecimento na campanha do PT e lamenta derrota mesmo tendo o maior números de projetos da câmara




Em 1977, quando muitos dos atuais políticos da cidade ainda sonhavam em se projetar e outros sequer haviam nascido, Maria Aparecida Pieruzzi ou somente - Nega Pieruzzi assumia uma das cadeiras da câmara municipal de Cubatão, sendo a primeira mulher a exercer o cargo.

Dona de uma personalidade forte, a professora viu de perto várias gerações da política local surgirem e se perderem no tempo. Participante das lutas sociais exerceu seu primeiro mandato pelo extinto partido - Arena (Ligado ao governo e com orientação de extrema direita) único oponente do MBD , formado por grupos  que buscavam a tomada popular do poder, os chamados esquerdistas. 

Durante o governo do prefeito Carlos Frederico Soares Campos teve seu nome envolvido num escândalo que ficou conhecido como Mar de Lama. As denúncias arruinaram a carreira política do prefeito que gozava até então de grande aceitação da população assim como a dos vereadores citados no processo, menos a carreira de Nega que após defender-se em juízo, manteve-se de pé.

Vereadora por quatro mandatos, ignorou a orientação de esquerda ou direita, definindo-se apenas como uma militante política em favor do povo. Eleita em 2008 pelo PT, teve um mandato atuante, sendo a única mulher da case de leis, orgulha-se de ter sido a vereadora que mais apresentou projetos não só na cidade bem em toda a região.

Da tribuna da câmara, travou debates com oposicionistas e governistas e passou a ser a cada sessão uma incógnita quando se tratava de votações de projetos. Mesmo alinhada à administração opõe-se quando achou necessário as orientações de sua bancada e por vezes teve projetos rejeitados pelo próprio grupo ou depois de aprovados vetados pela prefeita Márcia Rosa.

No Comunidade em Foco desta quarta-feira, Nega abriu o coração, não fugiu das perguntas formuladas e falou sobre os prejuízos políticos do Mar da lama, contou parte de sua trajetória política e não poupou críticas a administração de seu atual partido.

Com voz firme, denunciou o favorecimento do PT à  três nomes nas eleições para vereador, citou as campanhas dos candidatos; Wagner Moura, Fábio Inácio e Adeildo Heliodo-Dinho, como desproporcionais aos demais concorrentes e indicou que os próprios coordenadores coligação optarem por favorecer três em detrimento dos demais.

Mesmo sem mandato, prometeu continuar lutando por dias melhores para o município, revelou amor pela Casa da Esperança, entidade a qual preside a cerca de 18 anos e confessou que não deu por encerrado a sua história na política. Na câmara até 31 de Dezembro, afirmou que pretende repassar a um dos vereadores eleitos e responsabilidade dos trabalhos que investigam as contaminações de funcionários da empresa Rhodia por hexaclorobenzeno.

Ouça na integra o programa desta Quarta-feira-feira (31/10). *Para uma melhor audição clique em pausar ou abaixe o volume do link "OUÇA AO VIVO" na coluna à direita da página. 


Por Almir Junior 
* Ouça o Pgm. Comunidade em Foco de segunda a sexta-feira a partir da 9h/manhã em FM - 92,5 ou pela internet aqui no blog.